Instituto Federal do Paraná Marca do IFPR I NS TIT U T O F EDER A L Paraná Campus Ivaiporã

INSTRUÇÕES DE EVENTO

II ENCONTRO DE HUMANIDADES DO VALE DO IVAÍ

ENVIO DE RESUMO PARA O EVENTO E EIXOS TEMÁTICOS

Caso você tenha preenchido o formulário de inscrição para a categoria de APRESENTADOR(A) DE TRABALHO, aqui seguirão algumas instruções:

  1. Neste link você poderá fazer o download de um modelo de resumo que deve ser seguido para o preenchimento;
  2. Depois de ter produzido o seu resumo, você deverá enviá-lo para o seguinte e-mail: lab.lhuvi@gmail.com . No corpo do e-mail bastará constar seu nome completo;
  3. Caso seu resumo tenha mais de um autor, apenas o apresentador será certificado pela apresentação;
  4. Após o evento, os resumos serão publicados em Anais de Evento, constando todos os autores do trabalho.

VOLTAR À PÁGINA INICIAL

Abaixo segue a lista de EIXOS TEMÁTICOS, com breve descrição, para a apresentação de trabalhos:

Arte e Estranhamentos:
A Arte Contemporânea por originar dos pressupostos das Vanguardas Artísticas e por usufruir das diferentes linguagens artísticas de forma híbrida, possui entre outras características, causar estranhamentos nos sujeitos, provocar reflexões, questionar a atual conjuntura econômica, social e cultural e por consequência se contrapor aos modelos tradicionais de produzir arte, ou seja, propõe romper com a “normalidade” ao apresentar o “anormal” sobre os modos de produzir e até mesmo provocar o considerado “normal” na relação sujeito – objeto. Assim, os questionamentos podem ocupar reflexões em torno do que é Arte e se isso é realmente Arte?

Cultura e política na História:
O estudo das relações entre as dinâmicas cultural e política tem sido uma das áreas mais profícuas dos estudos históricos atualmente, sendo a emergência do conceito de “cultura política”, nas últimas décadas, um dos principais sintomas dessa tendência historiográfica. Dentro desta, destacam-se temas como os diversos processos de construção de identidades e alteridades coletivas; as interações, encontros, conflitos e choques culturais entre diferentes sociedades; o papel de atores sociais que se constroem e se colocam na interseção dos campos cultural e político, como os chamados “intelectuais”, dentre vários outros temas.

Direito a Cidade, Território, poder e conflito:
A cidade como território em disputa. Processo de urbanização no Brasil e no mundo. Os interesses em jogo na terra urbana. Funções sociais da Cidade. Intervenções urbanísticas. A pluralidade conceitual do território, migração e conflito.

Direitos Humanos, Poder, Violência e Políticas Públicas:
Direitos Humanos; Estado Penal; Criminalização da população (principalmente a pobre e negra). Atuações no campo sócio jurídico.

Discurso e verdade:
A verdade é um instrumento de legitimação. Quando buscamos estabelecer uma verdade ou quando aceitamos algo como verdadeiro o que se pretende é que isto [a verdade] deve se impor sobre os demais. Este eixo trabalhará em torno dos discursos que estabelecem o que é [e não é] considerado verdadeiro em nossa sociedade e seus efeitos.

Educação x Inclusão:
A chamada Educação Inclusiva vem desde o início do ano 2000 em uma luta constante com o intuito de que a pessoa com deficiência precisa ocupar espaços em diferentes segmentos sociais, culturais e inclusive no ambiente educacional. A pessoa com deficiência visual, física, auditiva e intelectual, foi deixada de lado em nome de uma sociedade “ideal” em períodos não muito distantes e na contemporaneidade a perplexidade continua a assombrar nossa sociedade e faz com que a luta se intensifique frente o considerado “anormal” junto aos demais considerados “normais”.

Ensino de História: alcances, limites e desafios atuais:
As intensas mudanças culturais que marcam o mundo atual têm trazido cada vez mais desafios ao universo educacional como um todo, mas, principalmente, ao ensino de disciplinas relacionadas ao conceito de Humanidades, como a História, a Filosofia, a Literatura, as Artes, entre outras. Num mundo cada vez mais caracterizado pelo imediatismo, a dispersão das relações humanas e ainda muito marcado pelo tecnicismo, essas áreas do conhecimento – apesar de sua patente desvalorização pelo pensamento dominante e as políticas públicas atuais – tornam-se ainda mais necessárias e urgentes por sua potencialidade humanizadora e transformadora. Assim, pensar as relações entre pesquisa e ensino, entre teoria e prática, e buscar novos caminhos para superar os desafios atuais são tarefas de imensa necessidade e responsabilidade.

Estigma e Norma: o ser social e suas possíveis interpretações:
Partindo dos conceitos de Estigma social, definido enquanto marca ou sinal que designa o seu portador como desqualificado, ou conforme Erving Goffman, inabilitado para aceitação social; bem como, o conceito de Norma entendido em Michel Foucault, como uma sociedade de normalização que descreve o funcionamento e a finalidade do poder, exercido cada vez mais no domínio normativo, o presente Eixo Temático tem por objetivo reunir trabalhos que apresentem reflexões e questionamentos sobre as temáticas relacionadas aos estudos de gênero, identidade e demais temas que levantem questionamentos sobre os padrões pré-estabelecidos e aceitos ou não socialmente.

Gênero feminino, lutas, desafios e superações:
O presente eixo temático procura abrir o debate para questões relativas ao gênero feminino frente ao aumento expressivo do feminicídio nos últimos tempos que para alguns parece “normal” determinados comportamentos, sendo justificados pela “cultura” adquirida ao longo da vida. Muitas mudanças já ocorreram, no entanto, muitas “anormalidades” se apresentam e faz-se necessário algumas indagações em torno do tema: Como explicar o aumento do fenômeno do feminicídio? Até que ponto a Lei Maria da Penha tem realmente inibido tais agressões? Quais são e como atuam as políticas públicas voltadas para a mulher? Quais são as mulheres que lutaram e lutam pela igualdade de gênero e romperam com a “normalidade” dos fatos? De que forma os mecanismos internacionais tem contribuído para a redução da violência sobre a mulher na tentativa de romper com a “normalidade” dos fatos?

Governos, desgovernos e para além do governar:
Os sistemas de governo são tão plurais quanto as geografias e as temporalidades permitem. Este eixo pretende abrir o debate a respeito das muitas formas de governar e das muitas críticas em torno dessas formas. Como os regimes deixam as pessoas serem o que são; e, em que medida eles também tentaram mudar, formatar ou mesmo eliminar aqueles considerados desviantes, indesejáveis, anormais.

Identidade e o Outro:
Sabe-se que a identidade do sujeito é constituída pela a relação que o mesmo tem com as pessoas a sua volta, o ambiente e conceitos previamente construídos. O eixo também tem como objetivo a articulação com as questões de raça-etnia, questões como sexo-gênero, orientação sexual, diversidade corporal, idade-geração e classe a partir da partilha de conhecimentos e práxis no enfrentamento aos desafios impostos pelo atual momento político (retrocessos, violências e negação de direitos), Os processos emancipatórios de autonomia e empoderamento, por meio da construção de identidade individuais, coletivas e políticas,bem como a produção de uma rede que potencialize estratégias de resistência no que diz respeito aos processos coletivos, à (re)invenção de si, a despatologização das identidades, dos gêneros e dos sujeitos.

Igualdade, Liberdade e Sociedade:
As profundas desigualdades que caracteriza o processo histórico de formação da sociedade brasileira, desde a colonização, se assentam em um conjunto de práticas e valores sociais relacionados a naturalização das injustiças ligadas às condições de classe, etnia, raça, gênero, orientação sexual, entre outras intolerâncias, que justificam e perpetuam a violação de direitos indispensáveis ao desenvolvimento humano e produz sofrimento psíquico. Dessa forma, este eixo, em articulação com o tema central do evento, pretende promover espaços de discussão sobre a as questões étnico-raciais, como o enfrentamento na política de extermínio das populações negras, indígenas, as pobres e periféricas. Também acolherá trabalhos que visem discutir criticamente os efeitos na reprodução do racismo estrutural, os povos tradicionais, a questão da identidade negra, negritude e ações de resistência e potência na produção de vida, violência de gênero e patologização.

Minorias e normalidade:
A ideia preestabelecida de normalidade já se opõe imediatamente ao conceito de minorias, mas afinal, quem de fato compõem essas minorias em um país plural e miscigenado como o Brasil. A padronização, o padrão tido como normal, não seria na verdade anormal? Quem são as minorias em um país com uma matriz racial tão diversificada? Qual o padrão de normalidade que representa a multiplicidade cultural brasileira?

Políticas Públicas, Sociedade e proteção Social e defesa de direitos:
As políticas públicas norteiam os processos contemporâneos da sociedade Brasileira na construção dos direitos sociais. O presente eixo incluirá estudos sobre a produção de políticas públicas sobre a formulação, implementação, análise e controle social. Os trabalhos desse eixo podem inserir as políticas públicas nas mais diferentes áreas, como na área da educação, área da saúde, na área de assistência social, concepções de cidadania, emancipação e/ou protagonismo social estudos e intervenções relacionados a contextos de vulnerabilidade e risco social. Seguridade Social: concepções e arcabouço legal. Debate Internacional sobre a Seguridade e Proteção Social em tempo de crise. Limites e desafios das políticas sociais. Poderá abordar: Infância, adolescência e juventude; Pessoa Idosa; Pessoa com Deficiência; População LGBT; População em Situação de Rua; Migrantes, Refugiados, Apátridas e Fronteiriços.

Promoção em Saúde:
Compreende-se que a promoção em saúde é um conjunto de estratégias que contribuem para a saúde nos âmbitos individuais e coletivos. Além disso, visa articular a ação das demais redes de proteção social. Ao se falar em saúde os modelos que seguimos em nosso país é o modelo médico. Contudo, há uma parte desse setor que tem trabalhado com a prevenção, voltado para a mudança de comportamento, com intuito de disseminar as informações de comportamentos saudáveis; o qual é abordado à educação em saúde. O presente eixo incluirá os temas de saúde da criança, adolescente, mulher, homem e idoso com o objetivo de promoção em saúde. Além disso, aborda a saúde mental – transtornos e abusos de substâncias, saúde do trabalhador e de pessoas com deficiência. Os trabalhos que apresentarem a discussão da patologização dos comportamentos, normalização e medicalização. Serão aceitos trabalhos com gestão e planejamento em saúde e epidemiologia.

Sujeitos e subjetividades:
A formação de uma subjetividade passa tanto pelas escolhas que fazemos como por todo um leque de modos-de-ser que já estavam prontos antes de existirmos. Este eixo abrirá o debate para análises em torno dessas muitas forças que atuam na composição desse fenômeno que é ao mesmo tempo particular e impessoal, o EU. Debater as muitas categorias que permitem sermos alguém único. Os estilos, as crenças, as escolhas e os segredos que compõem irrevogavelmente cada um.

VOLTAR À PÁGINA INICIAL

PR 466 – Gleba Pindaúva, Secção C, Parte 2 – Caixa Postal 138 – Ivaiporã/PR – (43) 3126-9400

Topo